O tempo, a vida. De Adelivan Ribeiro

O tempo urge,
passa com o vento.
Sente-o (o tempo) quem se dedica ao passar dos ventos,
ainda que quentes.
Sente-o (o tempo) mais ainda quem, além de perceber a brisa, busca aproveitar o melhor do que de bom o tempo (a brisa) mostra e traz.
Porém os que apenas vêem o tempo (o vento) passando,
sem querer notar a brisa (a vida),
estes não vivem, mas tão-somente deixam passar o tempo, o vento, a brisa, a vida.
(escrito em 15 de julho de 2000)

Comentários

Últimas publicações

Salta aos olhos ou salta os olhos?

Outono. Uma letra musical de Djavan, “comentada” poeticamente com o auxílio de Adelivan Ribeiro

A ALIANÇA. De Bastos Tigre