EFEITO SUSPENSIVO EM RECURSO ELEITORAL

Os recursos eleitorais, em regra, não têm efeito suspensivo. É o que preceitua, em parte, o dispositivo contido no art. 257 do Código Eleitoral – Lei nº 4.737/65.

Há, todavia, excepcionalmente, casos em que o recurso eleitoral – "lato sensu" – suspenderá o cumprimento imediato da decisão. Vejamos: o § 4º do art. 36 da lei dos partidos políticos (Lei nº 9.096/95) dispõe que da "decisão que desaprovar total ou parcialmente a prestação de contas dos órgãos partidários caberá recurso para os Tribunais Regionais Eleitorais ou para o Tribunal Superior Eleitoral, conforme o caso, o qual deverá ser recebido com efeito suspensivo."

E mais: o art. 216 do Código Eleitoral prevê que enquanto "o Tribunal Superior não decidir o recurso interposto contra a expedição do diploma, poderá o diplomado exercer o mandato em toda a sua plenitude." Ou seja, na prática, o Recurso Especial interposto em ação/recurso contra expedição de diploma terá efeito suspensivo.

Estes são dois exemplos clássicos de efeito suspensivo em recurso eleitoral.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Outono. Uma letra musical de Djavan, “comentada” poeticamente com o auxílio de Adelivan Ribeiro

Salta aos olhos ou salta os olhos?

"Se avexe não". Analisada por Adelivan Ribeiro, poeta e jornalista e meu amigo.